Diretor esclarece o final de Perfeição Insondável, terror que chegou na Netflix

Perfeição Insondável chegou à Netflix e não agradou os assinantes, um dos motivos é o seu desfecho. Depois das críticas, o diretor e roteirista Braden R. Duemmler esclareceu algumas dúvidas sobre o filme.

Divulgação



Braden R. Duemmler sobre Perfeição Insondável:

Ouvi dizer que o mistério acabou porque, se você colocar as legendas, aparentemente ela diz ‘barulhos alienígenas’. Então, sim, eu diria que ele é uma espécie de outro planeta. Não quero revelar muito mais do que isso. Eu diria que, se você perdeu alguma coisa, talvez volte ao trecho em que Libby dirige o carro para ver dentro do lago e ver o que ela vê. Poderíamos nos aprofundar mais nisso”.

Braden R. Duemmler esclareceu o final, quando vemos mais da espécie de John Smith, além de outras mulheres presas no tanque com água:

Eu enxergo o fim como se mostrasse como John é projetado por sua espécie. Ele é um exoesqueleto, que foi projetado como uma armadilha de Vênus. Embora o exoesqueleto seja o mesmo, interior muda para cada um. Um deles é um cientista nerd. O outro é meio hipster. O outro é meio rock ‘n’ roll”.

Eles fazem isso para atrair personalidades diferentes, mas estão sempre atrás da mesma coisa, o que fica bem claro na última cena. Eles estamos coletando espécimes. E eu diria para todos que se sentiram estranhos ao longo do filme, voltem, e ouçam as falas de John, e imaginem que ele está falando sobre Libby e Michelle como espécimes em vez de pessoas, e então, de repente, suas escolhas de palavras façam mais sentido”.



Braden R. Duemmler revelou ainda que a cena final se passa dentro da nave alienígena:

É dentro de uma nave espacial. Ela consegue respirar debaixo d’água e se dá conta disso. Ela ainda não engravidou. Ela foi trazida para novos experimentos. A luz azul é o aparelho que permite que as coisas respirem debaixo d’água”, disse Duemmler.

Apesar do final de Perfeição Insondável ser bastante confuso, Braden R. Duemmler disse que não mudaria nada nele.