Oxigênio: Explicamos o final do novo suspense da Netflix

Oxigênio, novo filme da Netflix que passeia entre o suspense e ficção científica com uma trama ambientada em um lugar fechado – dominado pelo crescente sentimento de claustrofobia – chegou dividindo opiniões, principalmente por seu final. Por isso, explicamos o desfecho da trama abaixo. Confira:

Oxigênio (Imagem: Reprodução)


Oxigênio conta a história de Liz, uma jovem (Mélanie Laurent) que acorda em uma cápsula criogênica. Ela não se lembra quem é ou como foi parar lá. Como ela está ficando sem oxigênio, ela deve reconstruir sua memória com ajuda de uma Inteligência Artificial para encontrar uma maneira de sair de seu pesadelo.

Assista o trailer:



Alerta Spoiler!

Aos poucos Oxigênio revela que Liz na verdade é um clone da verdadeira Elizabeth, uma médica cientistas que ficou na terra e foi uma das responsáveis pelo projeto de povoar um  planeta distante chamado Wolf 10-61c.

A missão era composta por Omicrons. Que são reproduções humanas genéticas não contaminadas por um vírus que atingiu a terra, criados pra propagar a raça humana no novo planeta, sendo assim, as capsulas transportam cerca de 10 mil clones, que deveriam hibernar até chegar ao seu destino. Porém um impacto danifica cerca de 500 capsulas, despertando Liz antes da hora.

Reprodução/Netflix

Final de Oxigênio

Após a descoberta de Liz de que Leo, seu marido, morreu na terra por contrair o vírus mortal, e que sua versão clone Omicron sobrevive, presa na nave, várias outras memórias vão sendo desencadeadas.

Liz quase não tem tempo de processar a revelação antes de seus níveis de oxigênio chegarem a um estado crítico. MILO (Inteligência artificial que administra a capsula)  tenta administrar uma “eutanásia” na protagonista, mas Liz consegue desconectar os tubos a tempo de evitar a injeção letal.

Depois disso, a personagem consegue redirecionar a energia do processo de eutanásia e readministrar o hiper-sono. Surge ai mais um problema: os tubos desconectados são essenciais para o processo de hibernação.

Com muito esforço, Liz consegue conectar novamente os tubos e retorna ao hiper-sono – com níveis de oxigênio em apenas 1%. No último segundo, a personagem conclui que os pods danificados dos Omicrons têm oxigênio suficiente para a conclusão da viagem.

MILO promete fazer a transferência do Oxigênio, e Liz embarca em mais uma hibernação na viagem de 34 anos para o planeta Wolf 10-61c.

Reprodução/Netflix


No cena final de Oxigênio, vemos Leo e Liz se abraçando em uma praia no novo planeta. Eles não são tecnicamente Leo e Liz, mas o clone deles.

A verdadeira história de amor deles terminou quando Leo morreu de volta na Terra, deixando Liz envelhecer e continuar suas pesquisas sobre o transplante de memória.

No Rotten Tomatoes, a produção está com 95%  de aprovação dos críticos, baseado em 55 reviews.

Reprodução/Netflix

Postar um comentário

0 Comentários